terça-feira, 30 de Setembro de 2014

y


Lá ao fundo, o cabide mais que perfeito.

domingo, 28 de Setembro de 2014

Formigal - Pourtalet




Foi pela luz do dia, ou por soar a despedida, o cenário tornou-se inesquecível. A mesma sensação deste.
Esta linda paisagem começa em Formigal, uma estância de neve que no verão é pasto, e continua até bem depois da fronteira de Pourtalet, onde se volta a entrar novamente nos Pirenéus.
Aqui, os cavalos, as vacas e várias centenas de ovelhas partilham estes pastos em liberdade. Dá vontade de começar a andar e só parar quando o sol se esconder.







quarta-feira, 24 de Setembro de 2014

coelho


Lembram-se deste post? Agora é mais a sério.

Já percebi que podem ser afetuosos e meigos, mas a conquista pode demorar o seu tempo. Já sei que é necessário comprar-lhe quase uma espécie de apartamento. Está posto de lado coelhos com o pêlo muito comprido, preferimos os de pêlo curto com orelhas arrebitadas, aqueles que são mais semelhantes a coelhos do que a peluches. E não percebo nada de raças de coelhos, Toy refere-se à raça ou ao tamanho?

O comum seria comprar numa loja de animais, mas mete-me confusão desconhecer os antecedentes, acho-os demasiado pequenos para estarem já sem a mãe e o preço também não me seduz. Será uma melhor opção adquiri-lo através de alguém que faça criação? Alguém conhece criadores? Os preços são idênticos aos das lojas de animais?

Gostava de falar com a Carla (veterinária) que me deixou um comentário no outro post, mas não consigo chegar ao seu email.

terça-feira, 23 de Setembro de 2014

Bujaruelo – Valle de Otal


Optámos por fazer este trilho porque já tínhamos aqui estado uma semana antes, e era aconselhado a famílias com crianças. Afinal foram 13,5 km e as crianças são mais resistentes do que pensamos.


Depois do prado ao longo do rio Ara, iniciámos a subida em ziguezague até avistar um enorme vale que na fotografia do livro parecia pequeno, achávamos nós que tínhamos chegado ao final, mas não, a sorte é que nos cruzámos com um casal que regressava e avisou-nos que ainda faltavam 2 km e valia a pena continuarmos. O vale é tão grande que só ao chegar mais perto das vacas (pouco simpáticas) é que percebemos que afinal não eram rochas. O cenário é fabuloso! Percorremos o vale todo sob a torreira do sol até à cascata.
Para nos pouparmos e o dia não parecer tão curto, atalhámos no regresso.





As horas estimadas das caminhadas nunca foram exatamente as indicadas, há que dar sempre mais uma hora de margem no mínimo, e nas indicações que nos são fornecidas no Centro de Visitantes em Torla nunca vêm os quilómetros apenas o tempo estimado, o que é muito relativo, nem todos temos a mesma altura nem as pernas longas.

domingo, 21 de Setembro de 2014

Pradera de Ordesa - Cola de Caballo






O percurso em que nos cruzámos com mais pessoas. Começámos na Pradera de Ordesa com destino à cascata Cola del Caballo. Foi um dia inteiro. No total foram 18 km – metade quase sempre a subir e o resto para o regresso, por onde viemos. A miúda aguentou-se lindamente, é claro que o cansaço dá nas vistas, principalmente quando parece que estamos a chegar ao fim e afinal não é nada disso, ainda falta uma planície inteira e mais o que está para lá da curva.
O percurso é fabuloso! Quem o quiser fazer poderá dar uma olhadela neste site.




Passámos por inesquecíveis bosques de faias, abetos e pinheiros silvestres – este local, perto dum refúgio de madeira, é mágico! Fomos vendo pequenas e grandes cascatas sempre ao longo do rio Arazas, e quando achamos que já ganhámos o dia temos o belo Vale de Ordesa pela frente até à cascata final. No vale, o percurso tem um piso para os caminhantes não sairem da pista (a flora é frágil) mas confesso que não consegui travar a vontade de me deitar na relva a olhar para as nuvens.