quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

/ \



Ao tentar organizar as centenas de fotografias do ano passado perdi a coragem toda, outro dia logo se vê, ou não. Mas encontrei algumas, como estas, que ainda não tinha publicado. Registam o ano em que voltei a fazer algumas coisas para mim, como esta gola de torcidos. Matei saudades dos tempos em que fazia camisolas e casacos em tricot para mim. Em que fazia tricot e não conhecia ninguém que tivesse o hábito de o fazer, e por isso estranhavam quando dizia «fui eu que fiz». Passado uns anos, essa estranheza mudou, e ao sacar das agulhas em qualquer lugar já poucos olham-me pelo canto do olho.

4 comentários:

Alexandra Durão disse...

Mas ainda há quem olhe de lado e continue a pensar que é "coisa de velhotas", quem me dera saber trabalhar como algumas das "velhotas", tão vítimas de preconceitos como as "novas"! :-)

rita disse...

também ando a torcer com esta lã e, podia apenas ser uma coincidência mas acho que se deve ao facto de sermos das miúdas com um extremo bom gosto, com a mesma cor! acreditas?
acho que para além da estranheza, as pessoas ficam curiosas em saber o que estamos a fazer e, muitas delas, com comichão nos dedos :-D

Lara disse...

Eu tenho o previlégio de poder fazer no meu local de trabalho e à custa disso já tenho aguçado o apetite a muitas pessoas que até sabem fazer mas acham que não têm tempo ou é coisa do passado e quando eu acabo por dizer que está na moda ficam todas entusiasmada. Mas porquê que as pessoas só se dedicam a fazer o que está na moda e o que toda a gente faz? Não têm vontade própria?

Rosa disse...

Que lindo, Vera! É a tweed?