sábado, 31 de dezembro de 2011

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011




Sobrevivi ao Natal. Agora aproxima-se a festa da passagem de ano que não aprecio. Deixei de compreender a necessidade que muitas pessoas têm de ir sempre para algum lado e da obrigação de se divertirem a todo o custo, quando há outros dias do ano muito melhores do que este. O único momento que me deixa em sintonia com a transição é o do ritual das passas. É de aproveitar a energia no ar quando somos muitos e desejar :-)

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

dias cheios

O tempo é curto para quem se propõe a fazer muitos dos presentes de Natal. A casa fica virada do avesso e adormecemos a horas indecentes. Mas quando estamos a oferecer, já nem nos lembramos do trabalho que isso nos deu e no ano seguinte repetimos a dose.

Ao olhar para o que ainda me falta fazer, o mais provável é não voltar aqui nas próximas semanas.
Para o ano há mais… boas festas!

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011



Gostava mesmo de ir ver

do Natal




Chegou a altura dos embrulhos, e este ano vamos aproveitar os naperons porque fizemos muitos…

Como de costume, há muitos presentes feitos em casa. Por serem surpresa, não poderei mostrar tudo, mas a ideia do jogo da memória para oferecer a dois irmãos é digna de registo e o colar improvisado também. Da minha parte, apenas cortei os cartões do jogo para ficarem iguais, o resto deixei com ela.

Ao observar os naperons de papel que ela tem feito este ano, não tenho dúvidas que a tesoura é uma grande amiga e aqui recordo o início dessa "amizade".  Melhor do que a tesoura, só mesmo a fita-cola.

(família e amigos: ela não se importa de receber rolos de fita-cola no Natal, coloridos de preferência)

……

Para quem procura lugares tranquilos, the quiet place project.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

* shop update *


As últimas peças antes do Natal, disponíveis aqui.

sábado, 17 de dezembro de 2011

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

:-)

Não posso deixar de agradecer, a todas as pessoas que fizeram algumas das suas compras de Natal na minha modesta loja, que optaram por comprar objetos feitos à mão por uma portuguesa :-) e pelos emails que recebi com críticas tão positivas. Obrigada a todos ♥

Arrumei a loja e deixei apenas o disponível. No fim-de-semana vou juntar mais algumas peças que não consegui fotografar durante a semana. Se quiserem comprar, façam-no entre segunda e terça-feira para garantir a entrega antes do Natal (em território português).

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Flow

Uma colecção de pinhas e de ábacos estão presentes na galeria Flow, situada em Notting Hill. Infelizmente, só conheço o espaço pelas fotografias do site e do blogue, mas parece-me muito bonito.

Flow Gallery
1-5 Needham Road
London  W11 2RP  UK
info@flowgallery.co.uk | facebook

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

napperon


A A. apareceu com os napperons e eu não resisti em pedir-lhe para os fotografar. Uns são feitos em croché, outros com renda de bilros. Hei-de mostrá-los aos poucos, é que se os mostrasse todos num post, a beleza de um ofuscaria a do outro, e todos merecem destaque.
Isto não se diz, mas a verdade é que fotografei os napperons da A. a desejar que fossem meus :-). Este é feito com bilros e é um deleite para os meus olhos.

Lembrei-me agora, que deixei de fotografar as minhas heranças, umas vezes por esquecimento outras vezes por falta de tempo, mas quando o trabalho a acalmar recomeço a fazê-lo.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

wip


Um registo das conjugações dos ábacos que fiz esta época. Não costumo ficar com referências das cores dos alfinetes que faço todos os anos, a não ser algumas fotografias soltas, mas este ano não me esqueci.
Claro que podia criar um ficheiro no computador, ocupava pouco espaço e facilmente conjugava as cores para os próximos, mas eu gosto destes arquivos "reais" com textura. Sei que demoro mais tempo, mas não faz mal.

domingo, 4 de dezembro de 2011

para ir e para não ir

Ontem fomos visitar a tão publicitada exposição O Mundo dos Dinossauros – A Maior Exposição da Europa de Dinossauros, pode ser a maior mas de longe a melhor. Posso estar a ser injusta, mas só me vem à cabeça a palavra «banhada». Se não fosse a segunda parte da exposição apresentar muitas figuras à escala real, o dia não teria sido salvo.
Podemos assistir a um documentário que já passou na nossa televisão (nada de novo) e o resto da primeira parte, assemelha-se a uma rua escura mal iluminada. Os poucos painéis luminosos com textos explicativos acerca da vida e extinção dos dinossauros, são demasiado pequenos e têm muito pouca legibilidade, o que não atrai os miúdos sequer a olhar e muito menos a lerem, o que não se justifica porque falta de espaço não há. Mais à frente, estão expostos alguns fósseis verdadeiros e maquetes de esqueletos tão mal iluminados que nem se dá pela presença dos que estão suspensos do teto. A segunda parte, com as figuras à escala real, já tem algum interesse, mas para as crianças mais pequenas, está tão mal iluminado que os painéis das legendas não se conseguem ler. Ao sair da exposição, passamos inevitavelmente pela loja bem iluminada (claro!) e pela zona onde as crianças podem colorir uma fotocópia de um desenho de dinossauro (só uma!) e colar na parede. Outro pormenor a ter em conta são as mesas onde pintam, não chegam aos joelhos dos pais e os bancos são mais altos que as mesas. Mas quem é que organizou isto?

Não costumo criticar de forma tão negativa uma exposição, mas senti que perdi ali muito tempo e que a minha filha aprendeu pouco ou nada (aprende mais a ver isto). Provavelmente, se não publicitassem tanto eu não me sentiria enganada, é que até o site dá-nos a ideia errada do que vamos ver.

Pode ser considerada pequena a exposição de dinossauros no Museu da Lourinhã, mas tem mais interesse que a «Maior da Europa» e pouco se divulga.

(Depois de escrever, encontrei este post em que a autora deu-se ao trabalho de assinalar as falhas da exposição, e que eu sublinho tudo.)


Para terminar o post de forma mais agradável, relembro que a CNB vai levar em cena Romeu e Julieta e A Bela Adormecida. Para quem gosta de bailado, as «tardes de família» são de aproveitar, o preço dos bilhetes ficam muito em conta ao compararmos com os bilhetes das companhias estrangeiras, que vêm cá pela altura do Natal e enchem as salas mais conhecidas da cidade. Não subestimo esses espetáculos porque sei que são bonitos, mas o que é nosso também é bom e não vejo muitas pessoas a irem ver.
Essas «tardes de famíla» também são bons presentes de Natal para quem tem crianças e aprecia ver bailado.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

* shop update *




Venham, é por aqui!