sexta-feira, 14 de setembro de 2012

desabafo na rentrée - parte II




Estava a tentar não voltar a escrever sobre isto, este blogue não era assim, mas continuo a ferver. Nos últimos dias, em cada local que entro só oiço reclamarem da vida, como o senhor que entrou ontem no talho e disse: «Afinal vou guardar a caçadeira, o coelho fica na toca, a televisão é que vai lá.». De seguida houve quem reclamasse por todos terem sido sempre corruptos e que há muitos anos desistiu de votar por não merecerem o esforço. Não compreendo. O esforço não é por eles, é por nós!

Como é que desejamos uma mudança sem sair do local de conforto?

Reclamar nas redes sociais é confortável e partilhar o que os outros escrevem torna a coisa ainda mais fácil, só que todos os posts ficarão para trás. Sair amanhã para a rua é podermos dizer no futuro aos nossos filhos que temos uma voz, que tentámos, demos corpo e não fizemos apenas um post.
Amanhã não vou à praia, não vou passear, nem ficar a dormir, irei junta-me a muitas outras pessoas, cada uma certamente com as suas motivações, mas que têm em comum a esperança e a vontade de fazer mexer qualquer coisa. E isso, nunca é pouco.

Sem comentários: