quinta-feira, 31 de maio de 2012

decorar um presente







Como só ela sabe fazer.

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Biblioburro




Biblioburro é uma biblioteca itinerante criada por um professor colombiano chamado Luis Soriano. Quando conheci isto cheguei a ficar emocionada pela ideia tão simples e pela determinação deste homem. É mesmo assim que se muda o mundo, a começar naquilo que está ao nosso alcance.

«Aprendi que se eu despertar o interesse de apenas uma pessoa em ler um romance ou simplesmente uma reportagem sobre o preço do arroz, isso já será um grande passo. Quem lê se transforma e acaba transformando o mundo»
Luis Soriano

O vídeo é apenas a apresentação do documentário realizado pelo cineasta colombiano Carlos Rendón Zipagauta, podem saber mais sobre isso aqui.
Existem vários artigos sobre o Biblioburro espalhados pela internet, tanto imagens como vídeos mas este apesar de não ser recente, resume bem a história para quem ainda não ouviu falar.

………

Lembrei-me do Biblioburro outra vez porque fiquei a conhecer a Fé nos Burros através das fotografias da Maria João.

domingo, 27 de maio de 2012

▽▼▽▼▽




Ontem estive por aqui.

quinta-feira, 24 de maio de 2012

ossos do ofício


 
Nesta altura do ano já programei peças para o outono, nas quais estou a trabalhar desde março. A sensação é sempre boa quando pensamos que temos tudo controlado, só que este efeito dura tão pouco tempo.

Ao longo dos anos em que tenho trabalhado neste projeto, aprendi desde cedo que fazer e gerir é uma tarefa bem difícil, só se consegue assumindo as falhas, perceber onde é que correu mal e viver bem com isso tudo. Ao olhar para trás, posso afirmar que o primeiro ano desta aventura foi praticamente só erros.
Não pensem que se controla tudo, porque não se controla mesmo, vão ficando coisas por fazer e por todo o lado, até hoje. Umas por esquecimento outras por opção. Mas desistir disto não é solução, arranjo sempre coragem para tentar fazer de outra maneira e recomeçar vezes sem conta e nunca achar que é uma perda de tempo. Por isso sinto tantas vezes que ainda vou a meio da viagem.

Isto não é exemplo para ninguém, mas no início cheguei a dar comigo a fazer alguns impossíveis para dali a uns dias e milagres para a semana seguinte. No início é difícil não aceitar fazer, mas quando temos bagagem a melhor opção é mesmo não fazer em alguns momentos, porque não podemos deixar de ser fiéis a nós próprios, um trabalho feito à mão se for feito à pressa não sai bem e não parece nosso.

Apesar de nos últimos meses tentar esticar alguns dias e de no fim não ter cumprido o que tinha programado na semana anterior, não fico zangada com o que não funcionou porque tenho a certeza que melhoro de ano para ano.

………

Sugestão para o fim de semana :-)
No próximo sábado a Margarida abre o atelier. Uma boa oportunidade para conhecer as peças da Margapinta® ao vivo e a sua criadora.

quarta-feira, 23 de maio de 2012

colar Sortido






Esta série está à venda na loja da Fundação de Serralves.

segunda-feira, 21 de maio de 2012



Patrick Watson  |  Into giants

domingo, 20 de maio de 2012

úteis fora de uso







Coadores e ralador de queijo, leiteirinha, moldes para a manteiga, batedeiras manuais e ainda uns móveis maravilha.

sexta-feira, 18 de maio de 2012

colar Sortido





Com imagens de mais alguns exemplares, completo a sequência que tenho vindo a mostrar do novo colar. Nesta série reuni diversos materiais: missangas de vidro, contas de madeira, cerâmica, pompons, fio de algodão, camurça e pequenas peças de croché.

quinta-feira, 17 de maio de 2012



Cinematic Orchestra  |  To Build A Home (feat. Patrick Watson)

quarta-feira, 16 de maio de 2012

sintonias





Por breves momentos a brisa da primavera parece ter-me colocado na mesma frequência que colocou a Maria João.

terça-feira, 15 de maio de 2012

colar novo


 
O colar é um dos resultados da conjugação de vários materiais.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

ponto final






Ao 4º dente caído vou deixar que a fada volte para a despedida, ao 5º ficou decidido o boicote à fada. Só vou ter saudades dos recados. Gosto da fantasia que as crianças criam para encontrarem respostas ao que é mais difícil de lhes explicar ou para brincarem umas com as outras e sozinhas, mas não aprecio a fantasia alimentada por terceiros do tipo Pai-Natal-que-bate-à-porta-e-foge-ou-desce-pela-chaminé-mas-nós-não-o-vemos e para mim a fada dos dentes vai dar ao mesmo.

Obrigada pelos comentários deixados no «dente» anterior. Gostei de ler e ouvir outras opiniões nos últimos dias, ajudou a decidir ;-). Fiquei surpreendida, não esperava que a fada visitasse tantos meninos.

Adeus fada.

sábado, 12 de maio de 2012

wip



Reunir o que andava disperso.

sexta-feira, 11 de maio de 2012



Bernardo Sassetti  |  Noite (Alice)

Quando um filme é inseparável da sua banda sonora.

quarta-feira, 9 de maio de 2012

The Holstee Manifesto




Lifestyle design with a conscience. 

« This is your life. Do what you love, and do it often. If you don't like something, change it. If you don't like a job, quit. If you don't have enough time, stop watching TV. If you are looking for the love of your life, stop; they will be waiting for you when you start doing things you love. Stop over analysing, life is simple. All emotions are beautiful. When you eat, appreciate every bite. Open your mind, arms, and heart to new things and people, we are united in our differences. Ask the next person you see what their passion is, and share your inspiring dream with them. Travel often; Getting lost will help find yourself. Some opportunities only come once, seize them. Life is about the people you meet, and the things you create with them so go out and start creating. Life is short. Live your dream and share your passion. »

domingo, 6 de maio de 2012


Fiquei de coração cheio ao receber um desenho e uma carta.

sábado, 5 de maio de 2012

inventário







Em vez de visitar as retrosarias para me inspirar em novos materiais, prefiro revisitar as minhas gavetas e fazer um inventário.
À semelhança do ano passado, fiz mais franjas e vou dar continuidade a este género de colares para o verão. Estendi o desafio para outros modelos assimétricos e inclui apontamentos de croché que há muito tempo estavam destinados a uma futura coleção, mas que a meio do caminho tomaram outro rumo.

Para todos os materiais das imagens, excluindo as franjas, tinha objetivos diferentes. Uns ficaram a meio, para outros tinha a ideia mas nem sequer tentei fazer um protótipo, por falta de tempo ou porque de repente deixaram de fazer sentido. Mas é quando tudo corre ao contrário que as novas ideias também surgem.

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Dente caído




«Querida Fada dos Dentes por favor não me leves o dente que está embrulhado no lenço de papel. Por favor deixa-me uma surpresa!»

Tirei a dúvida e aceito sugestões para cancelar as viagens da fada após o 4º dente caído.

— Achas mesmo que a fada dos dentes existe?
— Claro! Se existem outras fadas não havia de existir a dos dentes?!
— Hum… Mas ouvi dizer que elas só vêm 4 vezes.
— Não. Elas vêm sempre.

terça-feira, 1 de maio de 2012

Partilhar ou não

 
Depois de ler o post da Sílvia, fiquei com vontade em dar a minha opinião sobre o assunto, mas acabei por desistir de comentar no seu blogue porque a opinião ia demasiado longa.

Não consigo aderir completamente ao facebook. Acho que isso acontece-me, porque antes do facebook eu já tinha um blogue. Os meus amigos que mais tarde aderiram ao facebook admiravam-se por nem sequer estar registada. É claro que a maior parte dos amigos e família nem sequer lia o meu blogue, alguns nem faziam ideia de que o tinha e por essa razão não compreendiam a minha resistência.
O motivo que me levou a ceder, foi para ficar em contato com algumas pessoas para mais facilmente passarmos recados umas às outras e substituiu o messenger. A página do blogue no facebook é recente e criei-a porque há leitores que preferem acompanhar os posts daqui através do facebook.

O blogue permite escrevermos ou publicarmos imagens sem esperar nada em troca. Temos um blogue acima de tudo para nós próprios, mesmo que te apercebas mais tarde que o lêem. Claro que há quem inicie um blogue com a intenção de conseguir obter a maior visibilidade possível, nota-se logo pelos conteúdos, alguns com interesse outros nem por isso. Há uns anos atrás isso não acontecia, não tínhamos a noção da divulgação ou exposição que um blogue poderia vir a ter. A meu ver, no facebook intervém-se de modo a obter-se reações imediatas, é um frenesim e parece estar em primeiro lugar o modo como queremos que os outros nos vejam, mas também acredito que nem todos sejam assim. Num blogue o espaço é mais tranquilo, visita-te quem se identifica com a tua «casa», procuram-te sem te impores a ninguém.

No facebook o «ruído» cai-te em cima assim que te ligas, é confuso e cansativo visualmente, mas não digo que não vou lá, claro que também vou, mas confesso que seleciono bastante. Prefiro ser eu a consultar apenas o que me apetece.
No blogue ninguém interfere inoportunamente, respeitam-te mais porque é a tua casa, no facebook entras e parece que estão todos sentados na tua sala, mesmo até os que não convidaste.

Se sinto algum problema em expor-me no blogue? Ao fim de 6 anos ainda não, mas vou sempre a tempo… Comecei a utilizá-lo para divulgar uma parte do meu trabalho e nem sei muito bem explicar como, tornou-se num diário gráfico, que posso consultar em qualquer lugar do mundo. Até agora tem sido uma experiência muito positiva e saudável.

Vejo o universo dos blogues um espaço de partilha, também me inspiro ao visitar outros e é justo partilhar o meu. Sigo alguns, mas também já desisti de acompanhar outros porque deixei de me identificar, os próprios autores também mudam. No facebook parece mal querer “desamigar” alguém enquanto nos blogues não há compromissos deste género.

Ao mostrar o que sentimos através dum blogue, arriscamo-nos a mostrar alguma coisa que não queremos e ficamos sem rede porque cada um interpreta o que quiser sobre nós. Mas uma partilha neste tipo de registo não deve ser sempre interpretada como uma exposição desnecessária, não é uma coisa má. É bom partilhar e mostrar um bocadinho daquilo que somos, por experiência própria recebemos um feedback mais sincero, isso é que é uma verdadeira partilha. Continuo a achar impossível fazer isto no facebook.

Não tenho interesse em mostrar que estou num concerto, que estou na rua x ou a tirar um bolo do forno. Se estou num concerto estou a sentir a música, se estou a tirar o bolo do forno estou a viver isso e não preocupada em mostrá-lo dali a segundos para que me digam de imediato que está com ótimo aspeto, isto sim é típico do facebook e provavelmente há quem se sinta frustrado se não receber «likes». Eu prefiro publicar mais tarde aqui no blogue uma fotografia do bolo e partilhar a receita. Apesar de expor-me não vivo dentro do blogue, faço outras coisas e há tantos momentos que não fazem sentido serem partilhados. O blogue é só um caderno onde registo inspirações, algumas emoções para não me esquecer e divulgo parte do meu trabalho.

Talvez já tenha exposto demasiado a minha filha, mas no registo das inspirações e emoções ela é fundamental, era inevitável. É claro que um dia destes deixo de o fazer, acho que ganho coragem para isso no dia em que ela decidir «googlar» a mãe, porque nem todos os miúdos se identificam com este tipo de registo.

E acabei de me expor mais um bocadinho, mas partilhei e isso também é bom.