sábado, 23 de fevereiro de 2013

boas estatísticas

O tempo de espera da aula de natação é assim, mas ontem foi diferente, senti-me mais integrada. Na esplanada interior apenas havia um pai a teclar ao telemóvel (ou a dar à «patinha» como diz uma amiga minha), duas mães a lerem livros, outras duas a tricotar e uma a alinhavar um casaco de fazenda, coisa que nunca tinha visto a fazer na rua.

Ontem os lavores ganharam aos gadgets.

7 comentários:

lorena disse...

Parabens, voce tem pessoas cerca! Isso nao acontece conmigo, ¡¡¡Fico rodeada de cyborgs!!!!

Margarida disse...

Imagino que deva ter sido uma sensação fantástica!

...eu costumo sentir-me sempre "um peixe fora d'água" ou qualquer coisa do outro mundo :-)

ana margarida disse...

Mas se houver um equilíbrio não faz mal nenhum, até porque não sabes se esse que deu à patinha estava a trabalhar ao mesmo tempo que pôde sair do escritório e levar a criança à natação. Pode ser que haja flexibilidade no trabalho dele e o deixem sair desde que se mantenha conectado. Ou então estava a mandar mensagens de amor. Olha que a tecnologia não é assim tão má :)
Mas alinhavar um casaco está no top!

Rosa Pomar disse...

Boa!

Vera João Espinha disse...

Querida Margapinta, o sr. estava ao lado de sua esposa que estava a ler, e a ser constantemente solicitada por este para ir vendo coisas no telemóvel. Claro que a tecnologia não é nada má :-) dá muito jeito! Mas ontem achei o máximo ver os lavores a ganhar pontos. Geralmente mais de metade está a olhar e a sorrir para o ecrãzinho enquanto dá à patinha.

MauFeitio disse...

E ainda as pessoas me dizem que tricotar e afins é uma coisa que já não se faz! É bom ver estas coisas cada vez mais espalhadas por aí!

Libelinha disse...

Sempre o fiz em qualquer lado (tricot/crochet) e nunca vi torcerem o nariz. Há uns anos, quando trabalhava no Atelier de arquitectura, almoçava sempre no mesmo cafézito e as senhoras que iam tomar café depois do almoço vinham-me espreitar o trabalho. Adorava aquele momento! Algumas chegaram-me a perguntar como é que poderiam fazer certos trabalhos, outras diziam-me que por me verem a trabalhar com tanto afinco as inspirei a pegar nos lavores de outrora.
Gosto de ver os lavores a ganharem aos gadjet's ;)