terça-feira, 28 de maio de 2013

maio

Estou desejosa de lhe ver o fim. É um mês demasiado cheio, tão cheio que nem vivo a primavera. Parece que quando acordo é sempre segunda-feira, tenho horas de sono pendentes e sinto sempre que o dia anterior foi demasiado curto. É o mês dos aniversários (já não tenho dedos que cheguem para os contar), dos convites para aqui e para acolá que não devo recusar, do dia da mãe, do aniversário do meu pai, do selo e da inspeção do carro e do seguro, da rinite alérgica, da ventania, do IRS, dos sapatos e da roupa que deixa de servir à miúda e da falta de paciência que tenho cada vez mais para ir às compras. E este maio veio com extras fora do habitual, um batizado, uma comunhão e um casamento. Cheguei hoje à conclusão que este maio irá prolongar-se até meados de junho. Socorro.

1 comentário:

Z disse...

Um maio que se prolonga até junho é quase como um dia 30 de fevereiro :) do livro do ano.

Mostra lá melhor essas "coisinhas" que tens aí penduradas?