quinta-feira, 8 de agosto de 2013

aprender a escolher


Na entrada para o 1º ano comprei-lhe uma mochila que a própria escolheu, com figurinhas horrorosas de um certo desenho animado, mesmo o que desejava na altura. Avisei-a de que seria uma mochila para usar até se desfazer e que pensasse bem.

Na véspera da entrada para o 2º ano chorou, porque já não gostava muito daqueles desenhos animados e «todas» as colegas tinham mochilas novas. Expliquei-lhe que não poderia fazer nada acerca disso, a mochila estava ótima e sobreviveria pelo menos mais uma época, lembrei-lhe que tinha sido a sua escolha e com muita insistência.
Para ter qualquer coisa nova passado uns dias ofereci-lhe um estojo (cá em casa o resto do material transita para o ano seguinte, seja lápis ou borracha). Nos primeiros dias veio um pouco triste para casa, alguém lhe disse que a mochila era «antiga» e nem sequer combinava com o estojo, lápis e caneta.
Não combinam?! Mas agora é preciso que a mochila faça conjunto com o estojo?! Disse-lhe que ignorasse os comentários. Sofreu o ano todo com a mochila, achando-a cada vez mais infantil, mas foi até ao fim sem falar mais nisso. No fundo, sei que cobiçava a das outras.

Para a 3º ano achei que merecia uma mochila nova pelo esforço de tudo. Umas quantas semanas atrás  comentou que se tivesse uma mochila nova durante a primária seria com uma certa heroína da disney.
Hoje, quando a fomos escolher disse-me que pensou melhor e preferia que não tivesse desenhos da tv nem heroínas de filmes, porque tinha aprendido a lição no ano anterior. Iria escolher uma mochila com uma decoração diferente, para quando fosse para o 4º ano ainda gostasse de a usar e continuasse com ela por aí fora.
Ao passar pelo corredor das kittys e heroínas comentou de passo acelarado «Não não. Não quero nada disto!».
No regresso de mochila às costas… «Já me apercebi que há muitas pessoas que compram coisas e depois deixam logo de usar porque já não gostam e estão sempre a comprar e a comprar. Temos de pensar em várias coisas antes de comprar para não deixar de as usar logo».

Às vezes sinto-me perdida na forma de educar, só passado muito tempo é que podemos saber se nos estamos a safar bem ou não. Respiro de alívio quando oiço coisas destas, e é aí que percebo que vou no caminho certo e que vale a pena o esforço. Mas houve quem me dissesse que fui «má» por não ter comprado uma mochila nova.

Ao perguntar-lhe se poderia dar a outra menina a mochila que já não gostava…  «Claro que não vou dar a ninguém, quero ficar com ela porque foi com ela que aprendi a lição!». Vai passar a utilizá-la para levar as coisas quando dorme em casa da avó ou quando vai à natação.

………

No último dia de julho trouxe-nos um lindo bolo colorido, que deve ter reunido com toda a plasticina daquela escola que já não podia transitar para o ano seguinte ;-)


6 comentários:

Aquela a quem querem obrigar a ter um blogue disse...

Ah ganda sobrinha! <3

Filomena Crochet disse...

Vera,
é assim, com atitudes dessas, que se forja o futuro - o bom futuro - dos adultos de amanhã.
Fizeste bem, e acima de tudo parece que a lição foi aprendida, foi assimilada....
Parabéns, tanto a ti, como à sua linda filha...

abraços de Maria Filomena

Rosália Agualusa disse...

Eu acho que és uma excelente Mãe, e que existem poucas como tu, nunca me considerei má Mãe mas nunca consegui fazer coisas com o Bruno e que tu fazes com a Beatriz e que os ajudam a crescer e amadurecer, nunca tive a imaginação e a paciência que tens.
És extraordinária e a Bia também.

Silvia Marta disse...

Parabéns, uma BOA Mâe sabe o que fazer ( mesmo que pareça errado) pq ouve o seu coração e faz orelhas moucas às opniões gerais,falo por experiência própria pois já eduquei uma menina ( faz 21 em setembro) e estou a educar um rapaz (de dois anos), Eles só precisam que estejamos sempre presentes na sua vida....

Mariana Neves disse...

Na minha altura, a minha mãe fez o mesmo :) A mochila do 1º ano, ficou até ao 6ºano.. e foi a mochila mais bonita que já tive. Depois a do 7ºano ainda sobrevive nos dias de hoje (3º ano da faculdade!). Existem compras que valhem a pena :)

Joana disse...

Magnífica lição de vida. Uma boa Mãe anda muitas vezes "mascarada" de má mãe. ;) Adorei este post.