sábado, 28 de setembro de 2013

Rio de Onor





É a segunda vez que visito. Da primeira, lembro-me de não ter encontrado ninguém para perguntar o quer que fosse. Desta vez foi diferente, apesar de haver mais casas reconstruídas com gosto, infelizmente haverá sempre a «casa amarela» a destoar. Muitas estão ao abandono e outras parecem estar, mas têm gente dentro.
Aqui encontrei os feijões mais bonitos que já vi ao colo de uma senhora, fiquei tão maravilhada que me esqueci de fotografar.


1 comentário:

Anónimo disse...

...apesar de 'haver' mais casas reconstruídas....
O dito cujo verbo é muito caprichoso!