quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Serra da Estrela



Dou preferência à paisagem da Serra da Estrela no verão. Nunca compreendi a fila de carros que se forma até à Torre durante o inverno só para tirar uma fotografia – mesmo com imenso vento, frio e nevoeiro – e de seguida, correr para outra fila, a da casa de banho dentro do desolador shopping que até hoje mantém o aspeto de construção temporária. É de fugir a apresentação de artesanato que nos dão a conhecer lá dentro. Não há espaço entre as coisas, não se respira, vê-se tudo e não se vê nada. E a esplanada condiz com o resto, começando pelas cadeiras cheias de publicidade a bebidas.

O local da Torre (a Torre propriamente dita, nem se dá por ela no meio do ruído) continua com a atmosfera de que foi bombardeada e só piora com o passar dos anos. Como portuguesa, fico envergonhada com aquele «ponto de interesse».



1 comentário: