quinta-feira, 31 de outubro de 2013

v

Felicidade é parar a bicicleta e apanhar uma folha do chão.

terça-feira, 29 de outubro de 2013

inspiração


Helen Rödel | Documentário Estudos MMXI

«A feitura das peças exige sempre muita concentração, move muita energia. É como se o cérebro se compartimentasse em dois. Uma parte coordena o tecimento e a outra a livre fruição do pensamento. Eu gosto de pensar nessa quantidade de pensamentos e ideias que habitam cada ponto tecido.»

«Se anda para a frente, mas também se anda para trás. Esse entendimento é fundamental para essas técnicas porque são movimentos constantes de tecer e de desmanchar. É uma metáfora para o andamento da vida e para o desdobramento do tempo.»

A roupa de Mallu Magalhães feita por Helen Rödel.


segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Aldeia Pedagógica de Portela



Na Aldeia Pedagógica de Portela é possível aprender a fazer pão, compotas e adquirir muitos outros saberes com os mestres da aldeia. Infelizmente, como fomos lá dar à procura de outra coisa não houve oportunidade para isso, mas encontrámos duas panelas enormes ao lume das quais trouxemos doce de maçã feito pela mestre das compotas, a D. Imperatriz. O doce acabou hoje de manhã e garanto que era delicioso!

O projeto da «Aldeia Pedagógica» está integrado no Programa Entre Gerações com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian.

domingo, 27 de outubro de 2013

de casa

A miúda queria um individual para a hora do lanche e gostava que fosse mais colorido do que os que temos em casa. Lembrou-se que eu poderia fazer com as t-shirts mais coloridas como faço com o tapete, no entanto achei que não ficaria bem e propus-lhe fazer com restos de lã que não utilizo. Entre o retangular e o quadrado preferiu o redondo como as pegas da cozinha!

Ao fazer isto, voltei a lembrar-me que ao registar a marca, uma das áreas que adicionei para investir no futuro foi a de roupa de casa. Tinha em mente dar continuidade às capas para os sacos de água quente e às pegas de cozinha, porque foi com isto que comecei a fazer croché em miúda e terei sempre ligação a estes objetos, e com muita pena fui deixando-os para trás pela falta de tempo. Eu sei que tudo isto caiu em desuso, porém vou continuar a fazê-los sempre que tiver mais restos de lã, como este último.


sábado, 26 de outubro de 2013

sair à sua




Eu ainda acredito que o futuro está nas nossas mãos. Sou incapaz de ignorar o que se passa à minha volta só para me sentir mais feliz. Sou bem mais feliz se souber o que se passa na realidade, e tentar perceber naquilo em que posso colaborar e as mudanças que podem passar pelas minhas mãos e pela minha atitude todos os dias. Dou valor à liberdade que me é dada para poder não aceitar o que me é imposto, e ir às urnas não é suficiente. Choca-me tanta gente desconhecer que haveria hoje uma manifestação, mas sabem que uma porcaria duma loja da Primark abriu no Colombo.

Sou uma cidadã do mundo mas vivo neste país e preocupo-me.

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

raízes


Desde a árvore, que fiquei com vontade de vir a fazer uma pregadeira com a mesma técnica. Mas quando me sentei com os materiais à frente não fiz nada disso, fiz antes um colar. Reuni os pedacinhos de lã que a Ana me deu no Natal (o que restou das suas meias) e juntei aos meus. Fiz vários conjuntos que no futuro irei mostrar, mas esta foi a primeira experiência que ainda fiz no início deste ano, e precisei de manter a distância de uns meses para perceber se iria com eles para a frente ou não.

Não consigo fazer ao longo do ano todos os modelos. Vou fazendo escolhas de ano para ano mediante aquilo que me apetece fazer e o material que tenho disponível. Assim, em vez de pegar nos circulares  na primavera optei seguir com este modelo para a frente.


terça-feira, 22 de outubro de 2013

transformar



Com a mudança de alguns livros de casa para o atelier, encontrei algumas brochuras de exposições que neste momento de nada me serve guardar. Assim, muitas páginas de catálogos transformaram-se em envelopes para o que der e vier.
Semanas depois de os ter feito até acho que ficaram bem bonitos! (Os artistas que me perdoem.)

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

«a sorte dá muito trabalho»

A Sónia editou o postal para comemorar os 20 anos de profissão. Eu comprei-o para comemorar os meus 21 (não me esqueço desta data porque coincide com o aniversário da minha mãe).

Chego à fase em que quando digo que trabalho há mais de 20 anos, corro o risco de começar a ser considerada «antiga».

Não costumo escrever sobre a minha outra profissão, porque o blogue não foi criado nesse sentido e eu prefiro separar as águas. Mas hoje, excepcionalmente e em jeito de comemoração, escolhi algumas capas de livros que passaram por mim. Pertencem ao núcleo das que gosto muito, independentemente dos seus autores ou conteúdo, do contexto da data de publicação, do gosto de quem compra ou vende, dos elogios ou condenações.




sexta-feira, 18 de outubro de 2013

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

tapete com roupa de gente




À medida que as t-shirts envelhecem com demasiadas nódoas, vou desmantelando cada uma para ir acrescentando ao tapete que ando a fazer há muito muito tempo. Não combino as cores, se aparece roupa azul é essa que se segue, dão-me duas t-shirts e faço mais um acrescento. Será um tapete com roupa de muita gente.

Só quando pisar o meu tapete novo, é que lhe tiro a fotografia!

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

quatro paredes caiadas . último episódio

O último episódio teve um extra, o do fusível de cerâmica que se partiu no dia errado. Há dias em que nos apetece gritar, esse foi um deles.
Por agora, termino a saga com um final feliz, é que neste sítio temos sempre surpresas, das boas e das más.




domingo, 13 de outubro de 2013

álbuns de família


Por ter lido sobre a exposição, fui visitá-la. Vale mesmo a pena, as fotografias são deliciosas.
Os registos espontâneos e sem poses do nosso quotidiano, são sempre os melhores. Gostava de ter a boa memória e disposição para legendar as minhas fotografias, como a Ana Maria Holstein Beck fez com as suas.

Arquivo Municipal de Lisboa, de segunda-feira a sábado, entre as 10h00 e as 19h00. Pode ser visitada até ao dia 4 de janeiro e a entrada é gratuita.

(Imagens do post – fotografei a partir da brochura que trouxe da exposição.)



Informação posterior à data do post: no dia 26 de outubro às 14h00, haverá uma visita comentada à exposição pelos investigadores Ana Saraiva e Eduardo Nobre. Será necessário marcação prévia (21 8844060).

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

quatro paredes caiadas . saguão

Recuperando a sequência dos registos, este é o pátio que me dá luz, buganvílias, molas, e de vez em quando os lençóis da vizinha.



terça-feira, 8 de outubro de 2013

⎴ ⎴ ⎴


Foi encontrada no lixo pela minha filha. Estava empenada, partida e demasiado suja, mesmo boa para deixá-la onde estava, mas como foi a miúda que a encontrou, enfiei-a no carro. Dois meses depois serviu de cenário e aí é que achei que valeria a pena dar-me ao trabalho, pior não iria ficar.
Apesar de gostar muito mais do tom natural, precisava mesmo de a camuflar para anular o odor e não só, e aquele azul era a única tinta que tinha.

Apesar dos crimes que cometi, aos meus olhos ficou linda e formosa. Voltou a «sentir-se» útil e feliz.

………

«Reparing means taking the opportunity to give your product a second life. Don't ditch it, stitch it! Don't end it, mend it! Repairing is not anti-consumption. It is anti-needlessly throwing things away.» – Repair Manifesto