quarta-feira, 23 de setembro de 2015

sem título

Inspirarmo-nos no trabalho dos outros não é crime nenhum, mas que interesse tem seguirmos a inspiração à risca? Não será muito mais interessante partir daquele ponto e criar o nosso próprio percurso?

À medida que o trabalho cresce podemos vir a encontrar coincidências nos trabalhos dos outros, é a forma natural da evolução do próprio trabalho. Quem aprende uma malha de cordão pode muito bem acabar numa peça de roupa como tantas outras pessoas, mas a blogosfera portuguesa é um T0 e quando estamos tão próximos essas coincidências tornam-se pouco claras. Menos claras ainda quando podemos observar o que já foi feito e identificar outras "colagens".

O que é que eu faço quando isso acontece? Nada. Simplesmente nada. Já fiz em tempos, mas não merece a pena, aprendi que quando as tais coincidências acontecem estão a mostrar-me que estou em vantagem, que quem vai na carruagem da frente afinal sou eu. Mais facilmente eu me distancio da “imitação” propriamente dita do que ela de mim. Felizmente tudo tem dois lados, e apesar do lado negativo me deixar aborrecida e dececionada, existe um lado que me motiva a fazer melhor e diferente.

2 comentários:

Viana disse...

Aqui entre nós, não valerá a pena publicares isto, acho que tanto tu quanto a Alexandra se inspiraram muito no trabalho da Maria João Ribeiro, aka Kjoo. Não vejo mal nenhum nisso, mas é um bocado a história do ovo e da galinha. Quando vi os colares da Alexandra, lembrei-me dos teus, mas quando vejo os teus lembro-me dos Kjoo.

Vera João Espinha disse...

Viana,
Em primeiro lugar, não estou a citar nomes, em segundo se não desejas que seja publicado o teu comentário poderás enviar uma mensagem para o meu email.

A que colares te referes exatamente? Aos desta página:
http://perdi-o-fio-a-meada-catalogo.blogspot.pt/
ou desta:
http://perdi-o-fio-a-meada-catalogo.blogspot.pt/p/primeiras-colecoes.html

Claro que à partida, penso que o teu comentário terá sido fundamentado em datas ou pesquisas de fotografias anteriormente publicadas aqui ou no flickr, às quais terás feitos comparações, certo?

Eu sugiro que conheças melhor o que foi feito anteriormente e o percurso de cada pessoa até agora.