segunda-feira, 9 de outubro de 2017

futuro

Quando começamos a encaixotar a nossa vida damos conta que guardamos tantas coisas que até nos esquecemos que as temos. Não sei se acontece com todos, mas comigo foi mesmo assim, um dia eram importantes no dia seguinte deixaram de o ser, tão simples quanto isto.
Até mesmo as que nos trazem boas recordações e outras que eventualmente um dia poderão ser úteis ficam para trás. É o desapego.

Não vale a pena guardar muito ou um bocadinho de cada coisa, rouba-nos tempo e puxam-nos para trás como se fossem um cordão invisível atado à perna, quando o que mais precisamos é andar para a frente. O importante andará sempre connosco, a frase está certa.

O verão não foi fácil e abandonei os registos no blogue para não dispersar, penso que agora seja o momento certo para retomá-los e talvez ainda acrescentar uns poucos que ficaram só pelo instagram.

E o primeiro, é que voltei ao meu bairro para começar de novo.


6 comentários:

Anita disse...

Vá, força aí. Mais uma etapa

Dulce disse...

Aos começos!
:*

Anónimo disse...

Não sei se percebi bem, mas que seja para melhor. Manténs o atelier em Benfica? Bjs.
Sara

Patrícia disse...

Um beijinho Vera!

ponto guloso disse...

Bem-vinda de volta :)

paula disse...

Costumo dizer que o que é importante está guardado na memória. Como William Morris dizia: “Have nothing in your house that you do not know to be useful, or believe to be beautiful.” Um beijinho e tudo de bom