domingo, 30 de dezembro de 2018

dias de inverno

Estava na lista de propostas de 2018 e poderia ainda ser realizada — passeio da marina ao rio Trancão.


sexta-feira, 28 de dezembro de 2018

mulher-fotógrafa

As mulheres podiam pintar, escrever e mesmo fotografar e, por vezes, até eram encorajadas nesse sentido, quando pertencentes a um meio social onde havia tempo e dinheiro para o lazer. Mas deviam fazê-lo no interior desse espaço doméstico e familiar, onde não havia transações comerciais, exposição e reconhecimento público ou o escrutínio da crítica especializada.
A profissionalização e o prestígio tendiam a ser sinónimo de masculino; o amadorismo, sem pretensões à afirmação do nome no campo artístico ou literário, e a domesticidade lúdica confundia-se com o feminismo.


Filipa Lowndes Vicente, A Fotografia como autobiografia: Helena Corrêa de Barros, mulher-fotógrafa.
_ _ _ _ _


Uma pequena seleção de fotografias da exposição (legendas no fim do post) que está no Arquivo Fotográfico de Lisboa, de Helena Corrêa de Barros (1910-2000). Uma parte da exposição reúne fotografias a cores, a partir de diapositivos Kodachrome onde podemos ver momentos das suas viagens e vida pessoal. A outra parte que está no 1º andar, reune fotografias a preto e branco, como a própria fotógrafa dizia — momentos únicos e raros que aparecem por sorte.

Ficará patente até 23 de fevereiro de 2019, a entrada é livre.

Arquivo Municipal de Lisboa / Fotográfico — Rua da Palma, 246.

1 Viagem a Angola a caminho de Porto Alexandre Velvitchi (1950)  |  2 Viagem aos Açores. São Miguel na Piscina dos Botelhos (1969)  |  3 Cruzeiro às Canárias, Madeira (1962)  |  4 Cruzeiro do Sul (1965)-08-14  |  5 Chegada do Presidente (Presidente Américo Tomáz, 1963)  |  6 Raparigas (década de 1950)  |  7 Armadilhas de pesca (década de 1950)

domingo, 16 de dezembro de 2018

árvore de natal


Aproveitar a poda das árvores da minha rua em 15 minutos.